.

.

PAZ MUNDIAL

PAZ MUNDIAL
TODO O PLANETA NECESSITA DA PURA PAZ

C O N V I T E

Convido você querido(a) navegador(a) a visitar um outro altar virtual,

porém encantado, cheio de paz e luz, ao sair que um querubim o(a) acompanhe.

ORAÇÕES & INVOCAÇÕES da CEIÇA

http://oracoeseinvocacoescelestiais.blogspot.com

E se tiver apreciação pela Cultura Cigana, siga o link abaixo:


http://ceicaciganinha.blogspot.com

Com os braços abertos te espero para abraçar teu coração.

Desde já aguardo teu regresso a ambos, seja bem-vindo e fique muito a vontade.

Obrigada.
NAMASTÊ!
C E I Ç A

SEREIA

DANÇA DO VENTRE

ELEVAÇÃO ILUMINADA

ELEVAÇÃO ILUMINADA

MAPA de VISITAS

Passe o mouse no Flash para saber na íntegra de onde é o visitante no momento. Apesar de várias marcações terem desaparecido desde a data que inseri o devido mapa (20/maio/10). Todos sabemos que nada funciona 100%, mas p/mim até o momento este é o mais eficiente. Seja bem-vindo(a) - obrigada pela presença no meu Altar Virtual. Volte sempre. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . OBS.: A cada dia que passa somem + e + marcações de visitas, fui obrigada a lembrar-me do site Netlog agora, rsrsrs (20.06.10). Mas o que é isto ??? o mapa está ficando vazio, como pode ??? Não se pode elogiar. (23.06.10) Cruuuuzes !!! De 29 marcações p/os United States só restam 02, e outras mais se perderam. rsrsrs (30.06.10) OBS.: Pelo que já pude observar, "nenhum mapa é 100%" (uma pena).

Seguidores

A BRUXA

A BRUXA
A BRUXA

ANJA AZUL

ANJA AZUL

SLIDE dos MESTRES ASCENSIONADOS

HISTÓRIA e ORAÇÃO de SÃO JORGE

Salve SÃO JORGE Patacory OGUMNHÊ

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

285 - RITUAIS de REVEILLON

RITUAIS DE REVEILLON




Um ano tem 365 meias-noites. Tem gente que passa a maior parte delas dormindo, outros lendo ou vendo televisão, namorando, trabalhando, lutando contra a insônia. A verdade é que, na maioria das vezes, esse encontro noturno dos dois ponteiros do relógio passa completamente despercebido e banalizado. No entanto, ao menos em uma meia-noite do ano, o zerar dos cronômetros simboliza muito mais do que a razão de uma festa. O ano muda, mas, se quisermos, tudo continuará lá, como se, para nós do calendário gregoriano, do dia 31 ao dia primeiro apenas mais um dia tivesse se passado. As mudanças se operam dentro de nós graças aos fogos, à contagem regressiva, aos abraços e ao tim-tim do champanhe. Essa é a importância dos rituais de passagem no fim de ano que, a um olhar mais descrente, podem parecer grandes bobagens, mas, afinal, nos ajudam a renovar fôlegos, promessas e esperanças.

Muito antes dos fogos em Copacabana, já se comemorava o ano novo na Babilônia. Lá pelo ano 2000 a.C., os deuses da fertilidade Marduk e Dumuzi recebiam do povo da Mesopotâmia oferendas de alimentos no Cigarat, um templo em forma de torre. Naquela época, a passagem de ano já estava associada à idéia de começo e de renovação. No mundo de hoje, a fisioterapeuta Vanessa Amaury tem uma boa idéia do peso que a festa
de réveillon tem como ritual de passagem. "Eu era adolescente ainda. Tinha viajado com meus pais e comemos um churrasco no almoço do dia 31. Mas, de repente, comecei a ficar toda vermelha e descobri que estava tendo uma crise alérgica por causa de um molho que eu comi. Lá pelas oito horas da noite, fui parar no hospital e tomei uma injeção de antiistamínico que me deixou completamente grogue", lembra ela, que lutou contra o sono até onde pôde. "Fiquei me forçando a não dormir e, mesmo trocando as pernas, me mantive perambulando pela festa. Mas caí na besteira de tomar champanhe e, uma hora, eu encostei numa cadeira e apaguei completamente. Me lembro de ter despertado com o barulho dos fogos, mas não consegui acordar. Só me dei conta mesmo quando já era mais de uma da manhã e tudo já tinha acontecido. Na hora, fiquei com raiva de ter perdido os fogos e não ter participado dos brindes. Mesmo com todo mundo vindo me abraçar depois e me desejando feliz ano novo, fiquei me sentindo incompleta. No dia seguinte, tinha uma sensação esquisita, de que o ano tinha virado sem mim. É estranho mas era exatamente isso", conta Vanessa.

Já a estilista Patrícia Ribeiro nunca deu esse tipo de azar que, aliás, com 365 noites para aparecer, foi escolher logo a do réveillon para dar o ar da sua desgraça. Mas ela garante que não consegue nem imaginar uma virada de ano sem festa. "O ano novo é uma festa. Sem festa, não tem sentido, não é nada. É a nossa comemoração que faz a virada", acredita ela. Todos os anos, Patrícia segue um pequeno ritual que, segundo ela, a ajuda a se sentir renovada para mais doze meses de vida, com desejos, realizações, possibilidades e impossibilidades. "No dia 31, reflito muito sobre o que o ano me trouxe, de bom e de ruim. Escrevo minhas perdas num papel, dobro, e jogo no mar. Meus ganhos, deixo escritos no bolso junto com meus desejos. No ano seguinte, separo de novo. Gosto de chegar no dia primeiro sentindo que estou, de fato, começando uma nova etapa, com gás novo", diz ela.

Pequenos hábitos e mesmo orações e simpatias ajudam muita gente nesse processo. Ou será que a virada do ano teria tanta importância sem vestir branco – e ver todo mundo igual –, tomar champanhe e pular sete ondinhas? "Todo fim de ano, eu tomo um banho de sal grosso, sempre mentalizando a limpeza das energias negativas do corpo", conta a secretária executiva Kátia Saraiva. A médica Raquel Mourão é outra que garante não passar a virada sem simbolismos. "Um pouco antes da contagem regressiva, pulo com um copo na mão sem deixar derramar nada. Em seguida, jogo o líquido para trás, de uma vez e sem olhar, como se estivesse deixando tudo de ruim para trás. Não sei se acredito sinceramente, mas é impossível não aderir a essas coisas. Acho muito
divertido e saudável", comenta.

Tudo o que alimenta os sentidos, audição, visão, paladar, ajuda a marcar uma transição. Por isso, comemoramos o ano novo com comida, música e fogos para assinalar o começo de uma nova fase, de um novo ciclo. "Nosso dia-a-dia está pontuado por rituais de passagem. Quem nunca, numa noite, recebeu um telefonema com um convite para um programa e negou porque já estava de pijama? A rigor, esse fato não impede nada, basta trocar de roupa e ir pra rua. Mas colocar o pijama é um ritual de passagem, da hora de estar acordado, sair, fazer coisas, para a hora de ir dormir. Já imaginou uma festa de aniversário sem o "Parabéns"? É outro ritual. Os rituais de passagem que possibilitam supor um começo renovado, melhor do que o dia de hoje, são sempre marcados por festejos e estímulos sensoriais. Tudo isso ajuda a fincar transformações, mudanças", comenta a psicóloga Berenice Nascimento. E já que tudo isso só depende de nós mesmos, que tal começar a passagem renovando a certeza de que nunca vamos deixar de comemorar?
FELIZ ANO NOVO !

FERNANDO PUGA
(Autor)

FONTE:
www.bolsademulher.com
.
.





NAMASTÊ!
CEIÇA DA HUMANIDADE & ANJOS
Taróloga e Terapeuta Holísticas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...